sábado, 17 de maio de 2014

Maternidade de Crianças Índigo e Cristal: Maternidade de Coração

Maternidade de Crianças Índigo e Cristal: Maternidade de Coração


Por Celia Fenn



A maternidade de crianças índigo ou cristal é um privilégio neste tempo de turbulência e mudança. Como pais, vocês estão contribuindo para estabelecer novos padrões de maternidade ou paternidade no planeta. Vocês estão sendo parceiros dos seus filhos elevando a ressonância do relacionamento ao seu nível mais alto desta época.

As crianças índigo ou cristal vieram a este planeta com suas próprias "missões". A criança índigo está aqui para desafiar as formas e crenças existentes e a criança cristal está aqui para ensinar empoderamento e amor. Vocês como pais são parceiros nesta missão de ensinar e curar. Você pode ajudar seu filho a cumprir a missão dele ao entender o que ele necessita que você faça. Como pais de um índigo, esperem ser desafiados a todo momento, porém se vocês conseguirem adquirir a capacidade de lidar com estes desafios, vocês conseguirão ter um relacionamento mais fácil com seu filho índigo. Como pais de um filho cristal, vocês vão ter de lidar com uma vontade própria muito forte e frequentes desafios de poder. Tendo a capacidade de lidar com estes desafios facilitará o crescimento e desenvolvimento de seu filho.


O Paradigma da Maternidade Antiga

O paradigma antigo de maternidade não funciona com índigos e cristais. Como é esperado. Eles estão aqui para desafiar este paradigma e substituir por algo melhor. Portanto o modo como você foi educado não funcionará para eles. Você não poderá repetir os padrões de educação dos seus pais com você - conscientemente ou inconscientemente. Como pais das novas crianças, vocês precisam ser conscientes do que motiva os padrões de educação que vocês adotaram.

O Novo Paradigma da Maternidade

O novo paradigma da maternidade é baseado no Amor e deriva do centro do coração. Neste novo paradigma, cada criança é vista como um presente e um privilégio. A maternidade é vista como uma experiência do coração, na qual cada adulto tem a tarefa de educar e dar assistência à alma recém chegada ao planeta. Esta tarefa é uma parceria  na qual os pais da criança compartilham a aventura de criar uma experiência consciente de crescimento e aprendizado, com os parâmetros de educação do relacionamento.


Neste modelo de maternidade baseado no coração, a criança é vista pelo que ela é - uma alma altamente desenvolvida e evoluída. A alma índigo ou cristal tem sua própria sabedoria para mostrar no mundo dos adultos e o papel dos pais frequentemente é ajudar aquela criança a trazer a sua mensagem para o mundo. Para fazer isto, a criança precisa ser amada e educada, encorajada a expressar quem e o que elas realmente são e terem oportunidades para desenvolver seu potencial total num ambiente de amor.

Para ser este tipo de pais ou cuidadores, qualidades como Amor, Tolerância, Respeito e Aceitação Incondicional tem de ser parte do pacote básico de paternidade. Os novos pais também precisam entender as capacidades de Negociação, Comunicação e Disciplina.

AMOR



Esta é A mais importante qualidade da maternidade. Muita gente acredita que isto "vem naturalmente". Mas frequentemente os pais repetem os paradigmas ensinados anteriormente sem considerar se isto vem do coração ou não.

Efetivamente, você só pode amar e respeitar seu filho se você se amar e se respeitar. Tantos de nós foram criados com mensagens de "Você não é bom o suficiente" que a baixa auto-estima dificulta o amor próprio e a auto-aceitação. Qualquer um que trabalhe com crianças terá de perceber como suas questões de auto-aceitação não resolvidas podem ser projetadas na criança. A criança seria então vista como "má" ou "não manejável" ou "fora de controle" ou qualquer tipo de rótulos de "não é bom o suficiente".

Raiva e hostilidade mal resolvidas dos pais frequentemente são refletidas para o comportamento da criança. Frequentemente uma criança raivosa e temperamental expressa os sentimentos dos pais.

Será difícil criar uma criança índigo ou cristal a não ser que você tenha trabalhado suas questões e tem condições de amar a si mesmo, empoderar-se a si mesmo e expressar seu potencial máximo. Seu filho índigo ou cristal será seu professor principal se de fato você não tiver trabalhado estas questões.

Você APRENDERÁ a empoderar-se e a valorizar-se - pois eles ensinam a você esta capacidade. Mas é bem mais fácil se você já tiver estas capacidades desenvolvidas, neste caso a maternidade ou paternidade de seu filho se torna uma aventura compartilhada de crescimento e empoderamento.

ACEITAÇÃO INCONDICIONAL


Esta é uma das coisas mais difíceis para os pais. Geralmente o orgulho dos pais exige que seu filho viva para cumprir expectativas e papéis.

Mas as crianças índigo ou cristal tem definidos os sensos de quem eles são e o que são. Isto está muito claro para eles. E algumas vezes este senso de quem eles são pode estar na direção oposta do que os pais desejam e precisam.

Quando isto acontece, os pais precisam ser muito especiais para serem capazes de dizer: "Eu aceito você pelo que você é" e "Você não precisa ser como eu sou."

Pais inseguros podem encarar as diferenças de seus filhos como uma ameaça e exigir que a criança se conforme. Mas os novos pais permitem que a criança se desenvolva e seja como ela é, encorajando aspectos do ser da criança que são estranhos ao seu próprio modo de pensar e ser se é o dom que a criança apresenta.

Os novos pais também aceitam que ao crescer e se tornar adolescente ou adulto, seu filho índigo pode não escolher uma carreira "segura" ou "responsável" que todos os pais podem desejar. O índigo pode querer ser criativo, viajar o mundo e ver a vida ao invés de ir para o colégio e seguir a vida conforme os padrões.

Os novos pais precisarão entender que os índigos e cristais enxergam a vida como uma criação contínua onde eles são livres para "se refazerem" quando eles se sentem inclinados a isto, pois eles seguem suas paixões. Eles provavelmente não tem interesse no que é seguro, mas preferem algo que seja apaixonante, criativo e divertido.

O que não quer dizer que eles não criarão abundância. Geralmente índigos adultos criam um fluxo de abundância no mesmo nível que seus pais antes dos trinta. Mas eles o fazem de maneira criativa.

RESPEITO

O respeito está relacionado à aceitação incondicional. Se os pais aceitam quem ou o que a criança é, então nesta aceitação pode existir um respeito mútuo. Este respeito mútuo é o fundamento necessário onde o relacionamento entre pais e filhos será construído.

Muitos pais antigos enxergam as crianças como inexperientes e estúpidas até que sejam ensinadas por adultos mais sábios. Pais novos estão cientes de que seus filhos são seres evoluídos num corpo pequeno e que existe uma troca mútua de idéias e experiências num relacionamento. Os pais ensinam os filhos sobre as capacidades necessárias para sobreviver neste planeta atualmente. Os filhos ensinam aos pais sobre novas perspectivas de vida neste planeta de hoje. Os filhos ensinam aos pais novas perspectivas de vida que são derivadas de sua conexão mais próxima com o mundo espiritual.

Este respeito mútuo significa que cada um de vocês permitirão que o outro seja o que é, sem a necessidade de críticas e hostilidade se existirem diferenças.

De fato, os novos pais enxergarão estas diferenças como algo a ser celebrado a partir do momento em que entendemos a imensa diversidade de possibilidades inerentes à vida humana no planeta de hoje.

TOLERÂNCIA

Este tópico também se relaciona com os outros dois acima. Se existe aceitação incondicional, amor e mútuo respeito em casa, vai existir também tolerância pelas diferenças e pelas diferentes necessidades de cada pessoa e da família.

Esta tolerância pode ser estendida amplamente para a sociedade fora de casa. Se você ensinar seus filhos que você se aceita e aceita a eles, eles vão transferir este padrão de contato com diferentes crianças e pessoas que eles encontrarem na escola e em eventos sociais.

Esta tolerância pelos outros e aceitação dos outros é parte da missão dos índigos e cristais e ajudará a criar um mundo onde existe tolerância e aceitação de todos.

Os novos pais mostrarão aos seus filhos que eles podem se conectar com pessoas que são "diferentes" com respeito. E que podem honrar as diferenças e celebrar a diversidade, ao invés de se sentirem ameaçados e com medo como os pais de antigamente.

A efetividade destes aspectos mencionados acima frequentemente se baseiam na habilidade dos pais de compartilhar capacidades de vivência com a criança. Isto é feito mais eficientemente através das capacidades de Comunicação, Negociação e Disciplina.

COMUNICAÇÃO


A comunicação com seu filho é uma das chaves com as quais você pode mostrar amor e respeito. O ato de se comunicar é o de dar e receber. A pessoa que se comunica está dando ou compartilhando idéias e a pessoa que ouve está recebendo as idéias. Ambos os processos são "ativos", onde receber ou "ouvir" é também uma capacidade.

Como pais, vocês precisam se posicionar além do dar ordens e instruções que sejam recebidas pelas crianças sem questionamento e que tudo seja obedecido. E acima de tudo vocês não devem perder o controle e gritar no processo de comunicação com seus filhos.

O uso da raiva e da violência na comunicação apenas ensina a criança a utilizar os mesmos recursos para conseguir o que quer. Punição física também ensina a criança que para conseguir o que quer você precisa ser agressivo e violento. Estes padrões de comunicação são internalizados e podem ser externalizados quando a criança interage com seus pares. Crianças cristal estão aqui especialmente para experimentar o poder, se eles aprendem de vocês que a violência significa poder, então elas vão agir desta maneira. E frequentemente contra vocês.

É muito melhor então ensinar seus filhos a se comunicarem efetivamente, mas com respeito. E a chave para isto é que ambas as partes OUÇAM o que a outra tem a dizer. E o ato de ouvir é para realmente receber e entender o que o outro sente e precisa.

Comunicar-se com seus filhos sobre as questões da família toda afeta eles. Não pense que só porque eles são pequenos eles tem de fazer tudo o que você quer. Crianças tem necessidades emocionais que devem ser levadas em consideração quando vocês querem tomar decisões que afetam a família inteira.

NEGOCIAÇÃO

Negociação é parte do processo de comunicação. Se você quer que seus filhos sigam um certo caminho ou façam certas coisas, então você precisa explicar para eles por que você precisa que eles tenham este comportamento. Índigos e cristais não estão interessados em comandos autoritários, mas irão te ouvir se você calmamente negociar o que você quer.

Se o que você quer não é particularmente atrativo para eles, é possível negociar um prêmio por eles fazerem o que você pede. Neste caso, existe uma situação de ganho mútuo, onde ambas as partes conseguem algo que querem.

A capacidade aqui não é de manipulação, apesar dos pais de índigos inteligentes precisarem tomar cuidado para que seus filhos não se tornem manipuladores. Preferencialmente é melhor atingir um nível de conforto mútuo, onde ambas as partes estão em acordo e felizes com o que precisa ser feito. Por exemplo, se arrumar os brinquedos é uma tarefa, negocie com a criança que os brinquedos precisam ser arrumados a cada noite por uma semana, então no final de semana alguma recompensa pode surgir. Se isto não acontecer, não há prêmio. A maioria das crianças vai aceitar propostas como estas, ao invés de precisarem de uma mãe constantemente gritando por que os brinquedos não foram arrumados (bem, porque as crianças índigo e cristal geralmente tem outras coisas mais importantes e imaginativas para fazer do que arrumar brinquedos).

DISCIPLINA


Apesar desta parte ser deixada por último, geralmente é o tópico que mais suscita reações emotivas nas minhas discussões com os pais. Se é ou não para "dar surras" como punição ou para reforçar limites.

Minha crença é a de não se utilizar de violência. Isto apenas ensina a criança de que violência é uma ferramenta para conseguir o que você quer.

Também acredito que o conceito de "disciplina" é pobremente entendido na nossa sociedade. Disciplina se iguala a regras e regulamentos e punição. Com efeito, a palavra disciplina compartilha a mesma raiz que "discípulo" e isto tem a ver com ensinar e aprender.

O professor mais efetivo é aquele que não grita e nem é violento, a não ser que você esteja no exército. Na vida normal, ensinar é mais efetivo quando vem do coração e o ato é feito de uma maneira gentil e com consideração.

As crianças precisam saber onde os limites estão e o que é esperado delas num contexto familiar. Isto ajuda a dar a certeza de um senso de segurança que sustenta um comportamento calmo. Mas esta informação pode ser transmitida de maneira calma e quieta, utilizando as capacidades de comunicação e negociação.

As capacidades de comunicação e negociação são partes da capacidade de disciplina. Seu papel como pai é ensinar seu filho - através do exemplo e das palavras - o que é necessário para que eles se tornem adultos com empoderamento e amor. Você é o professor, eles são os discípulos. E algumas vezes eles são os professores e vocês como pais, os discípulos. Deixem que o relacionamento entre vocês seja tão cheio de amor e segurança do que aquele entre Cristo e seus discípulos.

FONTE: Parenting Indigo and Crystal Children: Parenting From the Heart (Celia Fenn - Starchild Global)

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Adultos Índigos da Geração X

Adultos Índigos da Geração X

Viemos na década de 70, como Nancy Ann Tappe descreveu, ela viu alguns de nós naquela época. Éramos poucos. Meus mentores espirituais me mostraram entre meus amigos e colegas de escola, quem deles eram índigos também. Eu vi. Alguns eu senti e lembrei. Outros se tornaram meus amigos e ainda mantenho contato. Tínhamos espírito de liderança. Na escola, nos destacávamos e formávamos nossos próprios grupos. Não, nós não éramos rebeldes sem causa. Mas pensávamos como podíamos viver em um sistema de guerras, de injustiça social, de atitude predatória contra o meio-ambiente, este mundo de ter e não ser? Apenas não concordávamos.

Eu pensava em mudar o mundo desde muito cedo, 9 anos de idade. Como humanista, lia todos os livros da casa dos meus pais. Todos. Desde literatura até as enciclopédias. Outros amigos eram artísticos e desenhavam ou faziam poesias. Eu pensava numa consciência maior do meio-ambiente e procurava entender o que levou os homens às guerras.

Sim, somos uma geração ligada nas rádios. Precisamos de música para sobreviver. Nossos pais, nascidos nos anos 40 e jovens nos anos 60, receberam a missão de fazer este mundo ter muita música para ouvirmos e não nos sentirmos tão fora do nosso mundo, da sexta dimensão, onde a música é que cria o universo, onde nós criávamos tudo à nossa volta através da música.

Lembro de sonhos premonitórios, alguns lúcidos. Sentia energias. E lembro que quando muito criança, ao fechar os olhos eu via espíritos e conversava com eles. Eles me diziam para não me preocupar e que era para eu conversar com eles. Alguns amigos relatavam sobre viagem astral. Mas não, este assunto de mediunidade não era comum. Harry Potter surgiria muito depois e o espiritismo do Kardec não estava nas telas do cinema. As novelas não falavam sobre o assunto. Quantos de nós tínhamos uma mediunidade mais aberta que só depois de adultos fomos compreender que não era como as outras crianças que fingiam ter um amigo imaginário? Mediunidade só entende quem tem. Os outros acham que é bobagem, que é imaginação ou loucura. E ainda assim, dentre meus amigos, mesmo os que tinham mediunidade bastante aberta, eu fui a única que seguiu o mundo espiritual e que tem a consciência do que estou fazendo neste mundo.

Muitos de nós despertamos faz pouco tempo por precisarmos nos curar ou então porque tivemos filhos cristal que tem uma mediunidade mais apurada e precisamos nos lembrar de como éramos para conseguirmos lidar com eles. Sim, nós somos os pais das crianças cristal. Nós nos preparamos ou estamos nos preparando para recebê-los e orientá-los, pois nós viemos para isto. Viemos para começar. Todo começo exige mais esforço.



Muitos de nós viemos de famílias que sofriam de alguma disfunção. Nós viemos para consertar, desde cedo. Somos nós que apontamos o que está errado. Nós percebemos. Por estarmos num meio nem sempre favorável, não seguimos os padrões da sociedade de tempo, do que as pessoas disseram ser o padrão de uma pessoal dita "normal", da "Matrix".

Somos os médicos que fazem homeopatia, florais, outras terapias alternativas num meio altamente materialista que quer negar que existe a ligação entre o espírito e o corpo, os sentimentos e as doenças. Somos os jornalistas que não concordam em trabalhar para uma mídia vendida para o sistema. Somos os músicos que se recusam a usar drogas e se auto-destruir como nossos antecessores e não nos vendemos para as rádios que recusam músicas de qualidade e hoje em dia jogam no povo uma música destrutiva para manter a todos dopados e sem voz. Somos atores e atrizes que não contam para o mundo dos dons mediúnicos que temos mas estamos lá no meio das terapias alternativas anonimamente. Somos designers, programadores de computador que saem de empresas onde a chefia é arbitrária e injusta para formarmos parcerias com amigos que são sócios, num relacionamento diferente onde todos são líderes e amigos.

Nós aprendemos a não nos identificarmos. Ao longo do tempo, aprendemos que surgem pessoas querendo sabotar a nossa missão. Andar sem nos identificarmos é melhor.

Kardec diz que os bons são tímidos. São silenciosos. Mudanças silenciosas podem ser revolucionárias. Uma revolução silenciosa. Pois os revolucionários barulhentos, todos eles morreram. E nós temos os filhos para criar. Precisamos viver e sobreviver num mundo onde os violentos se fazem manchete de jornal e o lado das trevas se agita cada vez mais porque sabem que estão com seus dias contados. Mas não precisamos fazer uma guerra contra eles. Seria fazermos o que eles querem. O que devemos fazer agora é nos mantermos longe dos sentimentos negativos e nos concentrarmos no trabalho de luz.

Silenciosamente.

Indigo Girl


sábado, 10 de maio de 2014

Trabalhadores da Luz

O Poder de Cura dos Trabalhadores da Luz
Por Doreen Virtue

Trabalhadores da Luz são aqueles que quiseram ser voluntários, antes do nascimento, para ajudar o planeta e sua população a se curarem dos efeitos do medo. Cada trabalhador da luz está aqui por um propósito sagrado. Muito frequentemente, no entanto, a vida na Terra com seu foco material cria uma espécie de amnésia nos trabalhadores da luz. Eles então esquecem suas identidades divinas e perfeitas e também suas habilidades de ajudar milagrosamente a Terra e todas as suas criaturas. Quando os trabalhadores da luz esquecem-se de sua identidade verdadeira e seu propósito, eles se sentem perdidos e com medo.



Você é um trabalhador da luz se: 

. Sente-se chamado a curar os outros 
. Quer resolver os problemas sociais e ambientais 
. Acredita que os métodos espirituais podem curar qualquer situação
. Tem tido experiências místicas como premonições mediúnicas ou encontros com anjos
. Passou por duras experiências de vida que diminuíram o conhecimento da sua Divina Perfeição
. Quer curar sua própria vida como um primeiro passo para curar o mundo
. Você se sente inclinado a escrever, ensinar ou aconselhar sobre experiências de curas ou sente uma urgência de tempo para cumprir sua missão mesmo antes de saber que você estava aqui para um propósito maior ou então não tem a certeza de que missão é esta ou como tem de cumpri-la.

Em todos os lugares do planeta agora os trabalhadores estão despertando para as memórias do por que eles vieram à Terra. Eles ouvem um chamado interno que não pode ser ignorado. Este chamado é uma lembrança de que agora é o tempo de parar de brincar com sonhos materiais e começar a trabalhar.

Muitos trabalhadores da luz estão descobrindo dons espirituais inatos, tais como capacidade de comunicação mediúnica, habilidade de cura espiritual. Estes são os dons que nós nos voluntariamos a usar para curar a população da Terra durante estas décadas cruciais por volta da passagem do milênio.

As profecias predisseram a nossa chegada e agora é a hora de nós cumprirmos os nossos propósitos Divinos. O mundo precisa de nós!

Nós que somos trabalhadores da luz não precisamos necessariamente adicionar nada a nós mesmos para nos prepararmos para nossa missão. Nós já temos as habilidades inatas mesmo que elas pareçam dormentes. Ao invés disso, precisamos trabalhar para nos libertarmos do medo que nos afasta de nos sentirmos confiantes nas nossas habilidades de trabalhadores da luz. Quando você se lembra que o seu poder de trabalhador da luz vem de seu Eu Superior e de Deus (não de "você"), você automaticamente se sente mais seguro das suas habilidades como curador espiritual.

(...) 

Nós podemos curar a Terra definitivamente com nosso toque espiritual. 

De fato, cientistas demonstraram recentemente que as pessoas podem mudar a temperatura do ar e da água e também as estruturas das nuvens puramente com seus pensamentos. Pesquisadores sabem há anos que as preces afetam positivamente plantas e animais. Estes estudos revelam algo que os trabalhadores da luz sempre souberam: nossas preces coletivas e pensamentos de cura podem impedir profecias de trauma mundial.

Existe apenas um espírito e uma mente e todos nós somos parte desta inteligência coletiva e deste amor. Resultados milagrosos nos laboratórios científicos estão demonstrando a base do fato da unicidade de toda a vida. Não faz muito tempo que cientistas americanos e japoneses ligaram monitores cardíacos e de pressão arterial a pessoas que se voluntariaram a fazer testes. Simultaneamente em salas separadas e fechadas, pediam para outras pessoas imaginarem pensamentos amorosos ou de raiva sobre as pessoas que estavam ligadas aos monitores. No instante exato em que as pessoas imaginavam pensamentos amorosos, a pressão arterial e a frequência cardíaca das pessoas que estavam monitoradas diminuíam significantemente. Então no momento preciso em que pensamentos de raiva eram projetados, os sinais vitais das pessoas monitoradas subiam como um foguete. 

Nós que somos trabalhadores da luz estamos conscientes do poder dos nossos pensamentos.

O que nós estamos aprendendo continuamente no entanto é que nossos pensamentos tem mais poder do que suspeitamos! Uma grande parte da função de um trabalhador da luz é monitorar continuamente nossos próprios pensamentos para termos a certeza de que eles são de um plano elevado e de amor. Quando ocasionalmente escorregamos em pensamentos de medo e julgamento, podemos deixar estas formas pensamento para os anjos que nos rodeiam nos curarem, sabendo que estes companheiros espirituais querem nos ajudar em nosso propósito sagrado.

Se a sua intuição está levando urgentemente você para exercer uma função de curador, pode ter certeza de que é a voz Divina e não somente um pensamento de desejo. É como se em anos mais recentes um chamado espiritual tenha sido transmitido em rede mundial - como um comercial mediúnico "precisamos de ajuda" - pedindo para os trabalhadores da luz despertarem para seus papéis de curadores. Aqueles que ouviram o chamado algumas vezes me contactam pedindo para reassegurar que esta voz interior não está os levando para desapontamento ou possível falha.

Eu posso entender com certeza este medo, pois eu o experimentei. Quando eu era mãe de duas crianças e uma dona de casa sem instrução, eu comecei a ter visões espontâneas nas quais eu me via como curadora e autora. Estas visões me assustavam porque eu não achava que tinha tempo, dinheiro ou inteligência para ser bem sucedida. Então eu comecei a comer em excesso para silenciar esta voz e as visões. Eu não me sentia pronta ou qualificada  para a minha missão.

O que eu estava fazendo era o equivalente a apertar o "botão silenciador" do meu relógio de alarme espiritual. Comer em excesso era a minha maneira de retardar os planos que Deus tinha para mim, porque a comida temporariamente diminuiria o som e a visão do meu plano Divino de vida. Eu ganhei quase 20 kg antes de finalmente me render ao Criador e pedir para que fizesse esta visão interior se tornasse realidade. Eu descobri que enquanto eu me comprometia a seguir meu propósito de vida, as portas se abriam para mim sucessivamente. De formas milagrosas, as quais eu não tinha planejado, tudo na minha visão se tornou realidade.  

Nós não falhamos quando aceitamos a missão que nós escolhemos para nós mesmos antes de encarnarmos.

O poder e a inteligência da Mente Una não comete erros. Nós não teríamos sido colocados em nossos papéis de trabalhadores da luz se não estivéssemos perfeitamente qualificados. A partir do momento que nós somos feitos à imagem e semelhança Daquele que é toda a sabedoria, todo o amor e capaz de curar qualquer coisa, nós podemos relaxar na certeza de que nós nascemos para curar.

Fonte:  Lightworkers (Angel Therapy - Doreen Virtue)