sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Adeus Mundo Velho

Adeus Mundo Velho

O que é o mundo velho?



A era do ferro (Kali Yuga) do hinduísmo e também dos gregos fala sobre um mundo onde as pessoas são propensas à guerra (o ferro é o elemento do planeta Marte, é o que dá a cor vermelha a este planeta, que é o regente de Áries, o deus da guerra), ao militarismo. Onde o medo predomina e a injustiça também. É o mundo de provas e expiações de acordo com o espiritismo do Kardec.


“A provação é a luta que ensina ao discípulo rebelde e preguiçoso a estrada do trabalho e da edificação espiritual. A expiação é pena imposta ao malfeitor que comete um crime.”

(Fonte: Livro: “O Consolador – Emmanuel”)

Estamos no final desta era e rumando para a Era de Ouro ou a Era de Aquário. 

A era do Ferro ou o mundo antigo tinha estas características:

Medo extremo chegando ao pânico em quase todos os cidadãos. O mais forte nestes mundos é o que sobrevive através da opressão dos mais fracos.
Esse domínio é feito através da força e do medo. Métodos de tortura eram empregados para isso e a ditadura onde apenas o mais forte dita as regras era o que existia. 
Para oprimir e torturar, as pessoas tinham que ser anormais, eram psicopatas, insensíveis e frios. A maioria dos chefes, reis e governantes eram deste tipo, como os reptilianos.
A escravidão era a lei e o racismo acontecia para que raças e povos fossem entendidos como inferiores e portanto mereciam ser escravos e sofrer tortura, abusos e privações.
Basta ver os calabouços de todos os castelos medievais da Europa para perceber que os reis e rainhas eram desta estirpe.
Depois melhorou um pouco só passando para as indústrias e o trabalho assalariado, porém com uma remuneração baixa.  
Os impérios eram militares e bélicos com indústria de armas mesmo que com a monarquia.
Para justificar a existência dos exércitos, era necessário ocorrerem guerras entre povos e países. Saques (roubos) e matanças eram corriqueiros. Ou seja, a corrupção ocorria o tempo todo.
O meio ambiente era devastado sem nada de consciência ecológica. 
As famílias eram constituídas por interesses econômicos e de poder, com pessoas doentes no sagrado feminino e masculino. 
Pena de morte e aborto mas arbitrariamente de acordo com quem está no poder.
As religiões dogmáticas são necessárias pois as pessoas não conseguem pensar por si mesmas de tão mergulhadas no medo que estão.
As pessoas andam armadas com facas e revólveres, coisa bem da Idade Média e do Velho Oeste americano.


No momento, agora estamos no mundo de transição. E vamos para o mundo de regeneração.

“A Terra deixará de ser um mundo de dor, de provas e de expiações, para ser um mundo de Regeneração, de reequilíbrio, de felicidade.”
(Fonte: Livro: “Plantão de Respostas”)

O Mundo de transição

O mundo de transição é onde nós estamos. Há mais confiança, mais períodos de paz, mais locais com paz no mundo. 
A liderança vem através do carisma e da capacidade de se comunicar e negociar. No entanto nem sempre isso é bom pois há pessoas com mau caráter e más intenções que sabem falar e convencer bem, continuam sendo corruptas e podem enganar através de ilusões e mentiras. O que os políticos mais sabem fazer é mentir e iludir, os militares  quando estiveram no poder também. 
Ainda há injustiça (muita) e pessoas competitivas e agressivas. Mas há cooperação surgindo. 
Chefes, reis e governantes são sociopatas, pois sabem usar a palavra para enganar, ainda que não se utilizem da força bruta. É a corrupção do crime de colarinho branco.  
As pessoas trabalham em empresas, ou como autônomos porém com muitas taxas e impostos ao governo. Ainda há escravidão em alguns lugares infelizmente. Existem muitos trabalhos que remuneram muito mal pessoas com trabalhos que exigem força física, que são considerados de pessoas inferiores (resquícios do pensamento da escravidão). Não há consciência ecológica nas empresas. Poucas trabalham com este conceito.
Ainda existe racismo, porém os mais racistas negam que este existe por já saberem que isto é considerado ruim.
Tortura também é vista como algo ruim, porém policiais e militares ainda a praticam e as pessoas mais sádicas podem dizer que apoiam a tortura. Mas negam quando são confrontadas porque sabem que não é bem visto pela sociedade. 
As ditaduras são execradas e vistas como algo doentio, de todos os lados. 
Muita gente já percebe que o grande problema é a indústria de armas e a propaganda bélica de certos países dominadores. 
Povos e países começam a se unir
As famílias começam a ter estruturas mais saudáveis apesar do caos inicial das separações e dos novos casamentos.
Debates de pessoas ou contra ou a favor da pena de morte e do aborto ocorrem, mas há muita confusão.
Há pessoas ainda nas religiões dogmáticas, mas que começam a serem consideradas o degrau mais baixo da espiritualidade.
Apenas a polícia e as forças armadas tem armas e algumas pessoas determinadas da população.



Mundo de Regeneração

Há paz e confiança, as pessoas conseguem ter fé em si mesmas e nos outros. 
A liderança vem através da verdade, da pureza de intenção no coração, de idéias e ações para o bem da humanidade como um todo. 
Pessoas cooperativas e dispostas a curar os outros e a si mesmos. A justiça se dá pela consciência de cada um,  pois as pessoas buscam ter a consciência limpa.
A punição é o trabalho para o bem de todos.
Governantes, reis e chefes são pessoas normais com senso de caráter verdadeiro (não a falsa moral).
Trabalho autônomo ou em co-working, ou em empresas com ideias mais cooperativas e  com consciência ecológica. Se há o governo no meio, tudo é feito corretamente, sem cabides de emprego e com competência real.
As famílias se constituem pelo amor e afeto das pessoas sem a obrigação das pessoas permanecerem juntas se abusos são cometidos. 
Racismo é considerado doença psicológica de gente que tem medo e insegurança.
Homofobia é considerada doença psicológica de gente que tem medo e insegurança.
Tortura é considerada psicopatia.
As ditaduras são consideradas arcaicas e sem propósito por retirarem a liberdade das pessoas.
As pessoas compreendem a espiritualidade como um todo e conseguem se desenvolver espiritualmente de maneira independente, pois tem a confiança e a fé em si mesmas para encontrar o divino dentro de si mesmas.
As pessoas não andam armadas nas ruas pois não é necessário, afinal a maioria sabe do respeito, da confiança, do amor de verdade.



Para frente é que se anda! 

Vamos esperar para dizer: 

Feliz Mundo Novo!



sábado, 7 de julho de 2018

Esportes e as Novas Gerações

Esportes e as Novas Gerações

Alguns esportes foram criados para dar vazão a instintos mais agressivos de pessoas, grupos e nações. A imensa maioria dos esportes obedecem a regras da dualidade do mundo antigo. Ganhar ou perder. Atacar e defender. Um contra o outro. Inferior e superior. Uma nação contra a outra. 

Para ganhar é necessário humilhar o outro, fazer o outro chorar. É necessário enxergar os pontos fracos dos outros para atacar. Palavras como destruir, humilhar, acabar, rebaixar, são muito utilizadas. O inimigo é sempre o outro. 


Nas Copas e nas Olimpíadas, as pessoas se vangloriam das nações e procuram humilhar as nações dos adversários. Apenas os que ganham são exaltados. E pior, no Brasil os próprios jogadores são humilhados. Que respeito existe nisso tudo?

Seres Cristais e Arco Íris e índigos não vão muito bem nessa frequência. Ou falta ainda os esportes coletivos de times melhorarem e as pessoas melhorarem para que exista uma consciência maior de coletivo sem pensar em guerra apenas nestes esportes. 

Já o Surf 🏄‍♂️ e os esportes radicais, o atletismo e os esportes ditos artísticos tem outra pegada. Outra mentalidade. 
Por isso Gabriel Medina e outros brasileiros lá. Assim como o skate com Fabíola Silva, Bob Burnquist. E outros brasileiros. Quando estava na residência de pediatria atendi uma menina que era skatista e era amiga do Sandro Dias ela ia competir junto com eles. Ela estava com hipertireoidismo. 

São os esportes radicais, o atletismo, a ginástica olimpica e artística, patinação artística. Esses são os esportes onde você vai encontrar índigos, Cristais e Arco Íris e as novas gerações se dando realmente bem. 

Por quê? 

Seja paraquedismo ou surf ou parapente, asa delta, motocross, mountain bike, dos esportes radicais. Ou outros esportes tradicionais como o hipismo ou o atletismo todos tem em comum o contato com a natureza e com animais. 

Já o skate e o Parkour mesmo inseridos dentro da cidade tem características parecidas com todos estes esportes citados. 


A primeira característica e a do desempenho individual. É você com você. Não é você contra o outro. O inimigo a vencer é você mesmo. Se você não está bem, o surf não rola direito. Esse negócio de um contra o outro e coisa da dualidade. Mentes mais elevadas olham para dentro de si e não para os outros. 

Segunda característica: 
Não é uma guerra, para destruir o inimigo, humilhar. É uma arte, criar uma performance, dar um show próprio. Isso fica bem claro na ginástica artística e na patinação artística, no nado sincronizado. 

Terceira: Tem tudo a ver com concentração e estar no presente. É como uma meditação. Na hora só tem você, a prancha e a onda. 

Quarta: Sim nesses esportes não dá pra ter medo. As novas gerações não tem medo. 

Quinta: Conexão com a natureza e o entorno. Para cavalgar é necessário se conectar com o cavalo, como o que ocorre no hipismo. Como em Avatar. A mágica é sentir e conectar a alma seja de outro ser vivo, seja da Mãe Terra ou partes dela, como o mar, o rio (como na prática do caiaque), a Floresta (no mountain bike), a montanha e a neve (no skate board e no ski).

Você precisa sentir o espírito dos animais e da Natureza. Para se sentir bem e perder o medo. Conectar-se é como se integrar com a força que move tudo. 

Sexta: Tem a ver com o autoconhecimento. Você vê os seus erros, como você pode melhorar. Não ficar enxergando erros no adversário para prejudicar o outro. Não é atacar o ponto fraco do outro. 

Sétima: O que vale é o caminho. Pegar a onda já dá uma sensação tão boa, é tanta endorfina que já vale apenas estar ali mesmo sem ganhar nada ou sem ser considerado melhor ou pior ou sei lá o quê. 

Oitava: Aprender o equilíbrio não só do corpo mas da mente também. Ficar em cima de uma prancha requer equilíbrio mental além do físico. 

Nona: Cooperação e cuidado com o próximo. No surf existe uma etiqueta que é também necessária para não machucar os outros e não se machucar. Saber lidar com as ondas, saber manter a distância para não bater uma prancha na outra, para não bater a prancha em outro surfista. Em outros esportes  a canela dos outros é alvo preferido de muitos. Dar rasteira, machucar como no Hóquei no gelo parece ser regra. 

Décima: Aumento importante da consciência ambiental. Pois o contato com a natureza é frequente. Surfistas estão entre os primeiros a pensar na questão ambiental - como Jack Jonhson o músico e os oceanos cheios de plástico.
O vocalista do Midnight Oil, que surfava, Peter Garrett, foi um dos diretores do Greenpeace que conseguiu criminalizar a caça às baleias e chegou a ser ministro do meio ambiente na Austrália onde implantou a coleta de lixo seletiva no país inteiro e a reciclagem.

Foi num vídeo do canal de esportes radicais, o Off que vi um cara do pranchão - stand up paddle - dar um alerta importantíssimo sobre a Amazônia e as represas que querem construir no Peru que podem secar o Rio Amazonas. 

No dia em que as pessoas começarem a encher os estádios não para lutar país contra país, povo contra povo, grupo contra grupo, mas sim para todos juntos pensarem em soluções para o mundo, aí sim é que diremos que a humanidade realmente evoluiu. 


terça-feira, 12 de junho de 2018

Fanatismo e Desespero

Fanatismo e Desespero

O que é fanatismo?

Fanatismo é a obsessão por uma pessoa, politico, artista, líder religioso, religião, time.

O fanatismo em verdade encobre mentes doentes, que estão em uma energia muito destrutiva, a energia tamásica ou modo da ignorância do hinduísmo. A energia da pessoa leva ao fanatismo, a pessoa é atraída para grupos fanáticos ou atitudes fanáticas.



Energias do Fanatismo

Energias cancerígenas

A energia do fanatismo é uma energia cancerígena. Como se comporta um tumor maligno? A célula está alterada, começa a ter suas funções alteradas, cresce desordenadamente e então vai destruindo todo o resto do corpo onde habita.

Assim são os fanáticos:

Fixam-se em alguma ideia e alteram suas funções de vida por conta de uma religião, um político, um time de futebol ou um artista. Começam a querer "crescer" ou pregar sobre este ídolo ou religião para que isso se espalhe. E então começam a destruir em volta todas as opiniões alheias, não respeitam os limites dos outros.

Como isso começa?

Tudo começa com a perda da fé, seja em Deus, em si mesmo, nos outros, na política, em tudo.

O que é fé? É confiança, é acreditar.

A perda da fé é o que gera a ansiedade que é o medo do futuro.

Hoje em dia é muito comum disso acontecer. Quantos perderam a fé nas religiões por conta dos inúmeros crimes cometidos pelas instituições contra os povos, contra os pobres, contra países… Quantos perderam a confiança na política.

E tem os que de tanto fazerem coisas erradas ou estão em situação financeira muito ruim, ou perderam entes queridos, perdem a confiança em si mesmos.

Tem gente que faz coisas tão erradas mas tão erradas que seriam até consideradas crimes mas se escondem por trás de alguma religião, galgam posições, procuram bajular os líderes, mantém-se fanáticos justamente para dizer para a sociedade que são bonzinhos e se sentirem também salvos perante as suas próprias consciências que na verdade não conseguem libertar.

Ou simplesmente não sabem o que fazer na vida, não conseguem se orientar sozinhos. Não tiveram isso em casa.

Estas pessoas precisam de uma tábua de salvação de tão perdidas que estão. Estão em desespero.

Desespero é a desesperança, a perda da fé, da confiança.

Mas para estar nesse estado de desespero a pessoa já estava antes com uma energia muito destrutiva. E a pessoa aparentemente melhora, mas na verdade se entra no fanatismo e quer destruir ou condenar com palavras de ódio os outros ainda está carregada de energia destrutiva e na verdade não se curou.

Os Fanatizadores 

Então aparecem os fanatizadores, aquelas pessoas que se aproveitam do desespero alheio. Se apresentam como os Salvadores.

Geralmente são charmosos, atraentes. São pessoas comunicativas, que sabem mentir muito bem, enrolar muito bem. São mestres na enganação.

Eles falam exatamente o que os desesperados querem ouvir. Eles sabem captar as informações do que as pessoas precisam e querem. Existem pessoas que buscam essas informações nas mídias sociais hoje em dia ou em pesquisas de campo.

No começo, podem oferecer de graça o que aparentemente seria uma solução milagrosa. Sim, eles oferecem milagres.  

Podem ser na política, os salvadores da pátria. Eles falam que vão combater a corrupção (o que todos querem), chegam até a ameaçar e dizer que vão matar os congressistas e as pessoas dizem noooossa ele vai ser morto - o cara já está lá dentro do congresso há mais de década e a família dele toda lá no meio. O anterior, do dito "lado oposto" (que não existe) também disse que ia combater a corrupção, xingou os congressistas e no final era amiguinho de todos eles. 

Nas religiões, pastores chegam até a aprender técnicas de hipnose para enganar as pessoas. Eles sabem o que elas querem. Geralmente querem o seguinte: 

- Dinheiro
- Amor
- Saúde
- Família
- Vícios
- Segurança

E hoje em dia infelizmente na política tanto os fanatizadores religiosos quanto os fanatizadores politicos andam juntos.

Nos meios artísticos, há artistas de certa forma fabricados para provocar fanatismo. E outros que atraem isso porque tem algo que as pessoas aspiram muito, que geralmente é o talento. Se não é o talento é a beleza física, o carisma.



Geralmente os fanatizadores tem interesses próprios, sejam financeiros, sexuais ou de poder mesmo.

Existem fanatismos que não são tão destrutivos, como o fanatismo por esportes ou artistas. Mas o fanatismo religioso e principalmente o politico são os mais destrutivos, pois não estão no campo da diversão, estes podem resultar em atos reais de ódio a grupos e pessoas.

Grupos e Seitas

Quando as pessoas estão em desespero, estão solitárias. Precisam de um grupo para se afirmar. Pode ser uma carência de não ter uma família que a rejeitou, alguma história complicada. Podem estar precisando de ajuda financeira, emocional. E por isso, quando enxergam um grupo que pode até oferecer todo esse suporte resolvem embarcar.

Mas os problemas começam quando a pessoa começa a obedecer ordens arbitrárias, começam a ouvir doutrinas de ódio e discriminação. Começam a pensar que só podem frequentar aquele lugar, não podem ouvir músicas ou ler livros que não sejam indicados pelas lideranças dali. Não podem mais fazer outros métodos de cura que não sejam os que alguma liderança daquele grupo esteja fazendo.

Começam a achar que os outros grupos, as outras pessoas são piores ou inferiores se não estão ali naquele grupo.

Não. Outras pessoas fora daquele grupo ou daquela prática não podem ter tanta compreensão da espiritualidade.

As lideranças daquele grupo mesmo que humanas não erram nunca mesmo que estejam pregando palavras de ódio, como dizer que determinadas pessoas deveriam ser exterminadas.

Mesmo que outras religiões façam muito mais benefícios para a humanidade, aquela é a verdadeira mesmo que seus líderes estejam deturpando muita coisa.

E quando alguém de dentro de tal grupo faz algo considerado um crime, o que se faz? Aquele santo ali de dentro como pode? Ah, então, ou se esconde o que foi feito se for uma das lideranças, melhor não comentar. Ou procura-se dizer que não se deveria punir tal pessoa como se punia antes pelo mesmo motivo só porque a pessoa é uma liderança ou tem uma relação importante com a liderança. Dois pesos e duas medidas.

Então existem pessoas que começam a modificar a própria vida inteira para viver em função daquele grupo. No princípio de fato acontecem benefícios. Mas se a pessoa não se encaixa em alguma coisa dali, a pessoa é retirada do grupo. E o tal grupo que tanto suporte dava, simplesmente se afasta. Tem grupos que chegam a parar de falar com a pessoa por conta disso.

O Pregador

Pensando que conseguiu tudo o que queria, a pessoa fanatizada procura agora pregar para todos os outros a formula da salvação. Que consiste em ser um fanático daquele grupo.

O pior acontece quando a pessoa começa a galgar posições naquele grupo. Sobe de hierarquia, o ego infla mais ainda. Mais "benefícios" tem, mais poder, mais ego, mais ego...

Com o ego inflado, a pessoa começa a achar que precisa converter os outros. Mas para converter, precisa destruir outras crenças.

Não se pode mencionar sabedorias de outros lugares ali. Afinal se a liderança não souber, como vai lidar com a perda do poder e do controle?

Alguns grupos partem para o radicalismo.

Então partem para quebrar os templos dos outros, torturar outras pessoas que não querem fazer parte das crenças delas, só se salva quem está dentro e os outros precisam ser eliminados.

Responsabilidade no Outro

Os fanáticos depositam a responsabilidade da própria vida nos outros. Precisam de alguém que os guie porque não tem capacidade de sentir por si próprios o que é correto. Lembre-se que eles perderam a confiança em si mesmos. O fanático não quer pensar. Ele quer ser mandado.



Eles projetam suas sombras ou o que consideram de ser o mal nos grupos que condenam (querem matar, metralhar num paredão) porque não querem ter a responsabilidade pelo que fazem de mal para os outros. Tem que ter alguém para pagar pelos pecados, que seja o outro grupo. Ninguém se responsabiliza pelos problemas que provocam eles mesmos na sociedade.


A Recuperação

Existem capítulos inteiros de livros de psiquiatria que tratam de lavagem cerebral das seitas.
Quanto mais a pessoa melhorar e sair de uma energia muito destrutiva - pois para entrar no desespero já estava numa energia destrutiva - consegue sair do fanatismo.

Hoje em dia muita gente está num estado de desespero e há muita energia destrutiva ainda, esperemos a queda dos fanatizadores existir um despertar e a recuperação dos fanáticos.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Como Não Absorver a Energia das Pessoas

Como Não Absorver a Energia das Pessoas


Existem algumas pessoas que absorvem mais a energia de ambientes e pessoas. São diversos os fatores que podem levar a uma pessoa ter essa tendência.

Empatia e mediunidade

 Algumas pessoas são muito empáticas e absorvem a energia das pessoas e dos ambientes. Isso é muito comum no meio dos médiuns, porque geralmente os médiuns são empáticos. A empatia é a capacidade da pessoa de sentir o que o outro sente. E isso é conseguido pelos médiuns através da absorção da energia do ambiente e das pessoas em volta.

Isso depende também dos chacras, se eles estão abertos para receber e dar energia, em que sentido estão girando.


Astrologia

Na astrologia, há algumas configurações do mapa astral que favorecem a pessoa a absorver a energia dos ambientes e das pessoas. A lua na primeira casa favorece essa característica.

O signo de Peixes tem essa tendência de absorver a energia dos lugares e das pessoas, uma esponja porque Peixes simboliza o todo, a conexão com tudo, o Somos Todos Um, pois é do elemento água. É como se o pisciano estivesse conectado com todas as pessoas e o ambiente.
O signo de Escorpião também é do elemento água e também absorve energia das pessoas, porém é mais de uma maneira um pouco vampiresca e sexual.

Já o signo de Câncer que também é do elemento água tem a tendência de absorver os conflitos emocionais.


Psicologia
As pessoas que sofreram rejeição pelos pais ou pelos criadores tem uma maior tendência de atrair abusos e também tem a tendência de absorver a energia das pessoas e do ambiente, pois quem sofre rejeição e abusos sente culpa mesmo que não a tenha. A pessoa pensa que merece receber as energias negativas das pessoas e do ambiente.

COMO FAZER PARA NÃO ABSORVER AS ENERGIAS
1) Se cuidar

A primeira coisa a fazer é se cuidar. É muito comum as pessoas que são empáticas se esquecerem de si por estarem sempre dando atenção a outras pessoas. No entanto, quem cuida dos outros precisa se cuidar. Amar ao próximo como a si mesmo é uma afirmação muito importante de ser lembrada.
Existem cuidadores de pessoas com doenças crônicas que podem adoecer por conta do estresse constante e da falta de tempo para si mesmo. É muito importante o cuidador buscar ajuda e perceber quando não pode dar conta sozinho. Existem até cuidadores que morrem antes do paciente crônico de tanto que são consumidos. É muito importante procurar grupos de ajuda e apoio.

Alimentação correta, hidratação correta, higiene, sono adequado são cuidados básicos que a pessoa precisa ter para consigo mesmo. Se isso não está acontecendo, é muito importante pedir ajuda.
Terapia psicológica de apoio é muito importante. 

2) Cuidados com a energia e o estresse
Algumas práticas espirituais são importantes para equilibrar energias e ações.

O evangelho no lar pode dar um norte para a pessoa se guiar no meio de um ambiente caótico e pode servir de orientação de como lidar com pessoas complicadas.
A meditação pode ajudar a pessoa a centrar, a sair do estresse e focar o pensamento.

A prática do yoga ajuda a equilibrar os chacras e a diminuir o estresse. O Reiki pode melhorar a energia dos chacras.
Além disso, elevar a energia faz com que a pessoa atraia pessoas com energias melhores e ambientes melhores.


3) Proteção dos chacras
A prática de yoga equlibra e sela os chacras.

Alguns símbolos do Reiki podem servir para selar os chacras. 

As energias do ambiente e das pessoas são absorvidas principalmente pelo chacra solar. Muitos terapeutas usam roupas mais escuras ou cobrem o chacra solar com alguma peça de roupa escura para fazer com que o chacra solar seja protegido.

Alguns cristais podem ser utilizados para absorver as energias negativas. Porém é importante saber que a turmalina negra se for como pingente de um colar precisa estar misturada com quartzo, existem pedras de quartzo naturalmente já misturadas com a turmalina negra. Sem a mistura, a turmalina fica forte demais.
A amazonita e a sodalita absorvem as energias telúricas do ambiente. A resina de âmbar, além de revitalizar os tecidos, absorve as energias negativas do ambiente e servem para proteger.

4) Crenças de vitimização e medos
Existem crenças que fazem as pessoas atraírem situações e pessoas que drenam energia. As crenças mais comuns são crenças de vitimização. A vítima atrai predadores.

O medo atrai predadores também. Portanto, é muito importante curar os medos.
5) Proteção Espiritual


Se você absorve energia de pessoas negativas, é importante ter proteção espiritual. Chame seus guias e anjos da guarda.

Imagine um campo energético em volta de você que te protege e repele todo tipo de energia negativa.


6) Homeopatia
Existem alguns remédios de homeopatia que ajudam as pessoas que tem a tendência a atrair abusos. Os remédios a base de leite dos animais e alguns remédios a base de plantas são bem úteis.

7) Florais

O floral Walnut é para pessoas que estão em processo de mudança e tem a tendência a absorver energias do ambiente e de pessoas.

O floral Gentian é para quem tem a tendência de atrair situações abusivas.

8) Cuidado com os sentimentos

Alguns sentimentos e sensações favorecem que a pessoa absorva energias negativas. Culpa, ressentimento, rejeição, raiva podem favorecer a pessoa a acreditar que merece receber energias negativas.

9) Aprender a dizer não

Você não precisa estar em ambientes e com pessoas que tenham energia negativa. Se é possível se afastar de tudo isso, afaste-se.

10) Evitar tocar nas pessoas que você não quer absorver energia
O toque absorve energia. Beijos e abraços também. Claro que por convenção social, somos obrigados a fazer isso. Mas se não for necessário, não faça.

A quebra energética é necessária. Você pode lavar as mãos até os cotovelos para não ficar com a energia da pessoa.



11) Aprenda a pedir ajuda 

Se você não está bem e esse é o motive pelo qual você está absorvendo energia do ambiente e das pessoas, aprenda a pedir ajuda para as pessoas certas.

12) Se puder, ajude

Algumas pessoas ouvem mensagens sobre as outras, ouvem o que está por acontecer ou o que a pessoa precisa melhorar. Ou mesmo enxergam imagens de situações. Se a pessoa tem abertura, você pode falar com ela para ela ser ajudada.

Se você não puder ajudar, peça a Deus que ajude a pessoa.

Então encerro a postagem perguntando a você:

Será que, nesse caso, não é um chamado para você aprender alguma técnica de cura para saber o que fazer para ajudar estas pessoas que aparecem para você?