quinta-feira, 30 de outubro de 2014

TOFU – QUEIJO DE SOJA NA CULINÁRIA DOS VIVOS (PELO MESTRE SHIFU)

TOFU – QUEIJO DE SOJA NA CULINÁRIA DOS VIVOS (PELO MESTRE SHIFU)



Estas são sábias palavras do Mestre Shifu. Faz parte das experiências de vida que o fizeram Mestre do Universo na arte de enxergar situações em que você se deu mal, “AAAAH, você shi fu!!!”. Mestre Shifu é autor da culinária dos vivos.

TOFU é o queijo de soja da comida japonesa e oriental. Parece externamente com um queijo mas não tem o mesmo gosto.



Só quem já viveu isso entende o que é. Existe a sensação de TOFU. São aquelas situações em que você olha em volta e pensa: “Tô fu...!!!!!!”

CULINÁRIA DOS VIVOS não é a culinária que utiliza germinação de sementes, mas sim a filosofia do fique vivo, fique esperto.

Já faz um bom tempo que lido com estas situações que dão a sensação de TOFU. Mais recentemente me deu esta sensação de perto só de imaginar uma situação que ainda bem eu não comuniquei para pessoas em volta.

Então vou descrever os tipos de sensação de TOFU e como lidar com elas.

Este artigo é complementar à Igreja do Foda-se do Deixe QueDigam, porém são situações mais graves pelas quais você passa e por mais que você ligue o foda-se a sociedade ainda é tão cheia de preconceitos e você vai sofrer de maneira absurda, do tipo, até você explicar que focinho de porco não é tomada, vai demorar muito e você vai sofrer muito.

Como lidar com a sensação de TOFU? Quais são estas sensações e situações?

A situação TOFU FRESCO, apenas temperado com shoyu, gengibre e cebolinha picadinha sem necessidade de cozinhar. É aquela situação em que o indivíduo é muito fresco, muito novo e a sociedade deixa passar o que se fez porque a pessoa ainda é muito nova e está aprendendo. Como você consegue comer cru e muita gente gosta, então não tem tanto problema.



A situação TOFU ENVELHECIDO. É quando o indivíduo faz uma coisa mas já é velho demais para fazer isto. O TOFU envelhecido fede um pouco por isto, por ser velho. No entanto, existem pessoas que apreciam o TOFU envelhecido e o tem como uma verdadeira iguaria. Nestes casos, o velho e bom Alzheimer ou mesmo a demência pode auxiliar a pessoa a justificar aquilo que foi feito.



A situação TOFU CUZIDO é a mais grave de todas. CUZIDO porque é a primeira sílaba, vai vir por trás a punição e pode doer muito. Na hora, o TOFU CUZIDO pode parecer gostoso, porém depois se as pessoas em volta souberem, a sensação de TOFU CUZIDO é indescritivelmente horrível. Nestas situações, se o indivíduo ainda não contou para ninguém esta situação, faça como mineiro, coma quieto e de boca fechada. Melhor ninguém saber. Então, fique vivo, fique esperto.



A situação TOFU FRITO é aquela situação que não tem jeito. O TOFU CUZIDO podia ser feito mais discretamente, você põe num forno ou refoga. Agora, o TOFU FRITO tem que colocar numa panela e fritar no óleo, nestas situações é muito barulho do óleo quente, tem que deixar escorrer depois, suja a parede e o fogão. São aquelas situações em que você não pode esconder o que fez e tem a sensação de TÔ FU e TÔ FRITO. Algumas pessoas gostam muito mais de TOFU FRITO do que dos outros tipos de TOFU, pois a sociedade acostumou o paladar para isto. Logo, uma parte da galera até vai achar legal o que o indivíduo fez. Só que a outra parte pode promover ainda a sensação de TOFU CUZIDO. Geralmente estas situações ocorrem quando a situação é coletiva e principalmente no meio de grandes grupos.



Particularmente eu já passei por algumas situações TOFU FRITO que me deram muita indigestão e o que acontece é que eu tenho a consciência de que eu chamo seguidores por onde eu vou e logo isto pode se tornar uma situação TOFU FRITO se estas pessoas decidem seguir algo que ou estou errando ou estou fazendo algo muito inovador ou diferente. Algumas pessoas pensam por exemplo que são meus amigos que me levam a fazer tal coisa ou me levaram a tal situação mas na verdade fui eu que levei todos para aquele caminho. Fui eu a autora da coisa. A sensação de TOFU FRITO quando os seguidores resolvem cometer muitos erros tem tanto de TOFU CUZIDO que dá vontade de gritar.

Isto aqui não é para fazer coisas erradas, mas sim nas situações em que a sociedade ainda não compreende o que você fez. Tenho muitos destes problemas por pensar uns 30 anos na frente.

Palavras do Mestre SHIFU, se Buda te deu tofu na sua vida, faça uma sopa de Missoshiru! Mas coma em silêncio.

Igreja do Foda-se do Deixe que Digam

Igreja do Foda-se do Deixe que Digam

Nós, os Fodasianos convidamos vocês a conhecer a filosofia do Foda-se.

Vocês querem conhecer as palavras do Foda-se?

"O Foda-se te libertará."

Este conceito do espírito livre e pensante se baseia nas palavras sábias de Jair Rodrigues, de Deixa Isso Pra Lá".

O Foda-se serve para libertar-nos dos fofoqueiros venenosos e dos preconceitos da sociedade hipócrita.

O Foda-se mantém o seu centro quando a sociedade ainda não tem a compreensão do seu espírito livre.  É um mecanismo centrador da sua pessoa.

O Foda-se também serve para nos libertar de pessoas altamente julgadoras e condiz com as palavras de Jesus, que diz para não julgarmos os outros.

Também é útil para lidar com pessoas que se queixam de tudo. Você nunca conseguirá satisfazer este tipo de pessoa. Então foda-se. Deixa a pessoa falando.

O Foda-se quando adequadamente aplicado é uma porta para a felicidade.



Mas esta igreja é diferente da do Edir do Foda-se Malandro. Pois não aprovamos o conceito de "Fiz merda, foda-se". Este é um emprego em vão das palavras do Foda-se libertador.

Nós acreditamos que o Foda-se não está meramente numa igreja. Ele vive dentro de cada um de nós. Basta você querer apertar a tecla Foda-se quando precisar.

Foda-se vem em diversos formatos e podemos praticá-lo em nosso dia-a-dia.

Ele pode vir como um programa de computador do nosso cérebro, no formato da tecla foda-se. É tão prático e silencioso e também possibilita a compra da nossa felicidade com apenas um clique.


Já o botão do foda-se é portátil. É muito prático, porém algumas pessoas dizem que ele não é tão discreto como ter uma tecla já instalada em seu sistema.



Existe também o formato do mantra Foda-se. O resultado é sensacional. Ele te leva para a paz de espírito no meio de tanta hipocrisia e preconceito e gente chata. Vem em formato de CD de áudio e mp3. Tem também o mp4 para baixar para o seu iPhone com lindas imagens meditativas do Nirvana Foda-se. Pois ele esvazia a sua mente libertando-te e levando para o Paraíso.



Nós, os Fodasianos de coração desejamos que todos vocês sejam felizes e Foda-se o que os outros pensam desta postagem.


Vão em paz e Foda-se.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Unicidade e Dualidade (Parte II)

UNICIDADE E DUALIDADE

PARTE II

Para ver a parte I e III, clique aqui: 

UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE I)
UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE III)

DUALIDADE NO MUNDO EMOCIONAL E ESPIRITUAL

A dualidade do bem e do mal é muito vasta. Definir o que é o mal apenas como sofrimento também não dá certo. Afinal, há sofrimentos que aparecem para o bem, há males que vem para bem, para o aprendizado. Podemos pensar assim no conceito de aprendizado para a dualidade do bem e do mal.


Ao lidarmos com a dualidade com relação aos conceitos espirituais e emocionais, o processo é um pouco diferente da dualidade no mundo físico. Esta decomposição conceitual serve para resolvermos nossas questões internas.

A cada vez que deparamos com uma questão, entramos na dualidade. Nossa mente enxerga a situação com as lentes da dualidade, nossos dois olhos (por isto são dois). Esta decomposição serve para organizarmos como se fosse uma “peça de teatro” dentro de nossas mentes, uma novela, um filme.

Alguns dizem que somos espíritos e então resolvemos vir para a terceira dimensão, o mundo físico. Neste mundo, resolvemos assumir papéis, do lado do bem ou do mal. Reptilianos por exemplo teriam topado vir no papel do mal predominantemente (não necessariamente) mais trevoso, também para aprender algo. O resto dos participantes nesta peça teriam a propensão para o bem e para o mal, mas não tão predominantemente para o mal como os reptilianos.

Men In Black e a hora em que os aliens retiram suas máscaras nesta peça


Ao analisarmos esta peça de teatro, precisamos encontrar uma solução para esta questão apresentada pelas nossas mentes.

Nesta hora, se pedimos ajuda ao plano divino para resolver esta questão, aprendemos a resolvê-la do ponto de vista da unicidade, da sabedoria divina, que nos inspira e sintetiza este aprendizado em um conceito da mente divina. 

A questão pode se apresentar como um conflito. Por exemplo, precisamos aprender a perdoar a partir deste conflito. O perdão é o aprendizado da unicidade, o conceito divino, a inspiração divina que resolve a questão, que soluciona e sintetiza o aprendizado e faz parte da unicidade, da mente divina. 

A unicidade seria como um conjunto de conceitos que unem e não separam. São como a tolerância, a paciência, o amor incondicional, o perdão, a compaixão, a cooperação, a integração.

Para aprendermos a sair da intolerância e irmos para a tolerância, precisamos aprender a aceitação.

Para aprendermos a sair da impaciência para a paciência, precisamos aprender a tolerância.

Aqui um vídeo da monja Jetsunma Tenzin Palmo, falando sobre a paciência, sobre como devemos agradecer aos que fazem o papel de maus neste mundo, pois eles nos fazem aprender a paciência e tantas outras coisas.


Para aprendermos a sair do ódio e irmos para o amor, precisamos aprender o perdão.


Para aprendermos a sair da dúvida e caminharmos para a fé, precisamos receber curas e graças.

Para sairmos da frustração para a realização, precisamos da mudança.

Para sairmos da competição para a cooperação, precisamos da ideia de abundância.


Assim vamos aprendendo estes conceitos a partir da vivência diária. As questões se apresentam todos os dias, até que aprendamos a enxergar e resolver tudo com os olhos de Deus, com os conceitos que nos levam à unicidade. É assim que passaremos do mundo da dualidade para o mundo da unicidade. 

Ainda levará um bom tempo até que grande parte da humanidade consiga atingir este grau de compreensão da divindade interna e da unicidade. O mundo da quinta dimensão, da unicidade, ainda levará um tempo para estar na Terra de uma maneira mais efetiva.


Sim, se você já percebeu, os chacras, a Kaballah, todas as religiões procuram fazer as pessoas compreenderem estes conceitos divinos, facilitam esta compreensão, aceleram o aprendizado se compreendidos através dos olhos da humildade.

Animus e Anima e Nosso Inconsciente

Carl Gustav Jung, psicólogo e discípulo de Freud, falava no inconsciente coletivo e nos arquétipos, nos símbolos do inconsciente. Estes símbolos estão presentes em todas as pessoas e são como imagens e conceitos que são alterados para o positivo ou negativo de acordo com traumas desta vida e de vidas passadas, vidas paralelas e dimensões. Ele falou dos arquétipos Anima e Animus, que seriam como a energia feminina e masculina (como dualidade), porém presentes em pessoas do sexo oposto, como espelho dos nossos processos de relacionamento com as figuras do sexo oposto das nossas vidas.

Anima seria como a bolinha preta no espaço branco do Yang e Animus seria como a bolinha branca no espaço preto do Yin.


Animus seria a parte masculina existente dentro do inconsciente coletivo da mulher, são arquétipos de homens (são quatro) em quatro fases da vida, que refletem as experiências com as figuras masculinas com quem a mulher entrou em contato nestas fases. Por exemplo, a figura de um pai, de um tutor, do marido, do filho. São estas figuras idealizadas que a mulher procura em um pai, um irmão, um namorado, um marido, um professor, em instituições religiosas, na mídia.

Carl G. Jung falou de quatro arquétipos de Animus dentro do inconsciente coletivo feminino.

. Homem do poder físico


O homem do poder físico seria o arquétipo musculoso, como Hércules ou Sansão. Para as mulheres, seria do nível mais físico, sexual, dos primeiros chacras. O homem dos instintos mais animais. Toda mulher sente atração por tipos musculosos ou pelo menos com músculos definidos. Seria como as forças do segundo chacra, as forças sexuais.

. Homem da ação e do romance


Este homem de ação e romance já pensaria um pouco mais, teria capacidade de iniciativa, de ação e planejamento, estratégia. É o homem sedutor, ou o herói dos mitos que planeja salvar a princesa do dragão ou eliminar adversários (que seriam simbolizados como o dragão) e conquistar a mulher. Ele tem um pouco menos de músculos. E precisa de aventura. É o aventureiro, como muitas mulheres sonham em ter.

. Professor, orador


O arquétipo do professor é bem claro. Um homem que vai ensinar, que tem um conhecimento maior. Toda mulher no fundo gosta de homens que sabem mais que ela em algum aspecto.

. Homem guia para o auto-conhecimento e para questões espirituais


Este arquétipo já seria mais do lado espiritual, seria um guia espiritual que leve para o auto-conhecimento. Pode ser Jesus, Buda, Krishna ou algum líder espiritual que a mulher queira seguir, alguma imagem de Deus.

Anima seria a parte feminina existente dentro do inconsciente coletivo do homem, arquétipos de mulheres, da mesma maneira que ocorre com Animus, são quatro arquétipos de Anima para as fases da vida e refletem as figuras femininas que surgem durante a vida do homem, como a mãe, a namorada, a esposa, a filha. Assim como na mulher, o homem procura o arquétipo da mulher ideal nas mulheres com as quais ele convive.

Carl G. Jung também falou de alguns tipos de Anima que os homens procuram tanto em mulheres que ele convive como em imagens mitológicas.

. Eva


Eva seria como a mulher que possui os traços físicos ou de tentação sexual, assim como o homem musculoso satisfaz a parte mais primitiva da mulher.

. Helena de Tróia


Helena de Tróia seria o arquétipo da mulher sedutora, que é desejada por vários homens e por isto leva o homem a ter que ser desafiado, o leva para ser o homem que precisa de uma estratégia para conquistar a mulher amada, pois agora ele tem adversários. É o lado feminino do homem de ação e de romance.

. Maria mãe de Jesus


Este é o aspecto maternal do arquétipo, com a sabedoria típica das mulheres, do instinto da mulher no sentido mais superior, o instinto maternal. É a mãe que carrega o filho em seu ventre e esta sabedoria o homem não consegue ter, é o que exclusivamente a mulher pode ensinar ao homem e ele não consegue saber pois não teve a experiência.

. Sofia


Este aspecto de Anima, Sofia, seria como a deusa grega Sofia que quer dizer "Sabedoria". É a sabedoria divina. É onde toda a dualidade é convertida em unicidade (os opostos são resolvidos com as virtudes e os conceitos da sabedoria divina).

Ela carrega na mão esquerda o cauduceu de Hermes, que seriam os chacras sendo abertos e os conflitos internos sendo resolvidos. Acima dela está a rosa e a cruz, a pomba do Espírito Santo e o terceiro olho. É o aspecto Yin, da água, da lua. É o que clareia as nossas questões adquiridas no mundo material, através da sabedoria divina.

Na mão direita, ela carrega o livro que simboliza o conhecimento. O sol aparece no lado direito, simbolizando o intelecto, a parte masculina da energia e também o espírito.

Estes são os opostos que Sofia consegue harmonizar e complementar.

Emma Jung (filha de Jung) diz que no princípio, projetamos para fora, nas nossas vidas, estas figuras arquetípicas, nas pessoas que convivemos. Em pessoas reais, é claro que estes ideais não serão atingidos e a pessoa precisará resolver este conflito interno para estar em paz.

É preciso tomar muito cuidado com as projeções que as pessoas fazem nos ídolos da mídia, pois muitos estão sendo manipulados por um governo oculto e ídolos são arquétipos poderosos que podem lançar conflitos internos nas pessoas. O fato destes ídolos descambarem a fazer coisas absurdas não é mero acaso. Um exemplo recente, um ídolo das adolescentes e pré-adolescentes desta geração que começou a se comportar de maneira ridícula, Justin Bieber. As meninas que o tinham como arquétipo de projeção de algum aspecto do Animus podem ter criado um conflito interno e podem passar a ter atração por tipos iguais ou então resolver o conflito, arranjando outro tipo de homem para a projeção. Mesmo os filmes, tenho observado como os mesmos são manipulados e tem um excesso de violência, armamento pesado, são sempre competitivos e agressivos.

Para ver a parte I e III, clique aqui:

UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE I)
UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE III)

Unicidade e Dualidade (Parte I)

UNICIDADE E DUALIDADE 
PARTE I

Para ver as outras partes, clique aqui:

UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE III)

Unicidade é a sabedoria divina, a inspiração divina que promove a síntese do aprendizado das virtudes e o retorno à Fonte Criadora, à essência, ao Deus criador.


Dualidade é a maneira com a qual enxergamos este mundo da terceira e quarta dimensões, num conceito de opostos ou polaridades. Como o bem e o mal, frio e calor, luz e escuridão, amor e ódio.

 

Esta é a visão do homem enquanto está nestas dimensões mais densas e são conceitos mentais, construídos para que possamos aprender as lições que nos propomos antes de encarnarmos.

O TAO TE CHING

O Tao Te Ching ("Tratado do Caminho da Virtude") surgiu na China em 250 a 350 a.C. por Lao Zi. Tem aproximadamente 5 mil palavras e foi encontrado escrito em bambu.


O Tao Te Ching é semelhante à Gênese da Bíblia quando fala que "(...) nomear é a mãe de todas as coisas.", pois a Bíblia diz que no princípio era o verbo, ou seja o "nomear".

Depois, no segundo capítulo, quando o nome é manifestado, começam os conceitos descritivos do que foi criado, em opostos, em dualidade. O símbolo Yin e Yang aparece no capítulo 42 do Tao Te Ching, onde se fala sobre estes opostos complementares.

O objetivo do Tao Te Ching é fazer com que a pessoa consiga se colocar na posição de observador desta realidade e compreendê-la, para aprender a desenvolver suas virtudes a partir destes conceitos, o que seria chegar à unicidade.

DUALIDADE NO MUNDO FÍSICO

A dualidade se manifesta em tudo o que enxergamos e sentimos no mundo físico, porque são conceitos que formamos para entender esta realidade. Como frio, calor; claro, escuro; seco, molhado. 

Quando pensamos no mundo físico, não existe melhor ou pior, certo ou errado. Apenas são conceitos e é como a natureza se configura. Se estamos em um ambiente muito frio, precisamos de calor para manter o equilíbrio e ficarmos bem de saúde. Se o ambiente é calor demais, precisamos de frio para ficarmos bem. Tudo depende das circunstâncias.


É como Lulu Santos em “Certas Coisas”.


DUALIDADE E ELEMENTOS

As tradições xamânicas, o taoísmo, a medicina chinesa, o hinduísmo e a magia celta falam sobre os 4 elementos (alguns falam de 5). Alguns destes elementos são opostos entre si.


O elemento água é o oposto do elemento fogo.

A água significa intuição, dons artísticos, tendência a absorver energias, empatia, instinto maternal, uma pessoa mais emocional, sentimentos profundos, auto-proteção, pessoas que preferem privacidade. Em desequilíbrio, podem ter uma personalidade que se vicia.

O fogo fala de pessoas que são inspiradas, confiantes, que conseguem assumir o controle, tem entusiasmo, são pessoas de ação, divertidas, excitantes, exploradoras e que abrem os caminhos trazendo mudanças. Em desequilíbrio, podem se tornar pessoas muito controladoras.

Este vídeo abaixo é uma história muito sensível sobre como os opostos água e fogo se complementam, porém precisam se tornar mais etéreos (virar fumaça), chegar numa resolução de unicidade, com harmonia e amor.

Amor entre Água e Fogo


O elemento terra é o oposto do elemento ar.

O elemento terra é característico de pessoas ligadas mais ao plano físico, são práticas, firmes como uma rocha, que gostam de estabilidade, quando equilibradas vivem no aqui e agora, são muito objetivas, muito pacientes, acreditam no trabalho duro para conseguir sucesso, cumprem as tarefas com uma coisa de cada vez e podem ser muito materialistas se não equilibradas.

O elemento ar é característico de indivíduos mais mentais, analíticos, leves, que precisam de compartilhar suas ideias com o mundo, são escritores, professores, filósofos e intelectualmente estimulantes.


NOSSO CORPO E A DUALIDADE

A primeira divisão da dualidade em nossos corpos e espíritos veio com nossa separação dos sexos, entre homens e mulheres. Esta divisão faz com que instintivamente e inconscientemente nós busquemos um outro que nos complemente, precisamos do outro para viver.


Almas Gêmeas

Como fomos divididos em sexos opostos, com características próprias, precisamos desenvolver a aceitação, a tolerância e a paciência para com estas diferenças que são tão complementares e tão necessárias para funcionarmos no dia a dia. Os aprendizados das almas gêmeas, dos relacionamentos amorosos, do casamento são dos mais importantes, afinal é a intimidade e o cotidiano que constitui a nossa vida verdadeira.

A Energia Masculina e a Energia Feminina

O segundo chacra é o da dualidade. É o chacra da sexualidade, das energias masculina e feminina do nosso corpo.

O símbolo da dualidade que lida com estas energias é o Yin e Yang, que são as energias feminina e masculina respectivamente.




Para compreender melhor estes conceitos de Yin e Yang, vamos ampliar esta tabela. Em primeiro lugar, vamos retirar este conceito de negativo e positivo, como se o feminino fosse pior do que o masculino. Não é nada disto. São opostos complementares.

Há momentos em que você precisa ser ativo, agir e tomar decisões, mudar, tomar iniciativa. Há outros momentos em que o melhor é simplesmente estar na posição passiva, de deixar a situação passar sem agir, esperar, tolerar, ter paciência. Tudo depende da circunstância em que se vive.

A energia do fogo, do calor (quente), do verão é de movimento e ação, de sair para fora, relacionar-se com o exterior. O sol traz a energia para que os seres vivos se movimentem e cresçam. O dia é o momento em que a nossa vida cotidiana se desenrola. Por isto a energia Yang é vida. Em trabalhos xamânicos mais fortes, quando são realizados de dia, geralmente não há conflitos internos.

A energia da água, do frio, do inverno é a de diminuir o movimento, se resguardar, entrar para dentro de si e fazer o trabalho interior, mudar interiormente. A água se molda passivamente nos recipientes que percorre, passivamente, mas é poderoso solvente que pode furar as pedras mais duras. A energia da lua favorece a espiritualidade, o trabalho interno e a morte dos nossos instintos inferiores pois se trabalhamos para modificar o nosso interior, com o auto-conhecimento, corrigindo nossos defeitos e desenvolvendo nossas virtudes, o que morre dentro de nós são os instintos inferiores; não é morte física e sim a morte do que nos faz mal. Em trabalhos xamânicos noturnos mais fortes, o contato com os conflitos internos ocorre neste período e são resolvidos.

O Corpo Dividido em Energias Opostas

O nosso corpo também foi dividido em metades iguais. Há a crença de que o lado esquerdo do corpo, quando doente, reflete problemas de relacionamento com pessoas do sexo feminino. Doenças no lado direito do corpo, reflete problemas com pessoas do sexo masculino.


Cérebro esquerdo e direito


De acordo com a teoria da dominância do cérebro esquerdo ou cérebro direito, cada lado do cérebro controlaria diferentes tipos de pensamento.

Uma pessoa que se denomina como sendo do cérebro esquerdo (ou masculino) seria mais lógica, analítica, objetiva. 

Uma pessoa que se denomina como sendo do cérebro direito (ou feminino) seria mais intuitiva, emocional e subjetiva.

Note que para complicar, os hemisférios funcionariam do lado inverso do resto do corpo.

Esta teoria surgiu a partir do trabalho de Roger W. Sperry, que ganhou um prêmio Nobel em 1981, mas não por conta desta teoria. Sperry apenas descobriu que quando cortava o Corpo Caloso (que conecta os dois hemisférios do cérebro), ele podia reduzir ou eliminar crises convulsivas em epilépticos.

No entanto, estes pacientes também tinham sintomas colaterais. Muitos dos pacientes não conseguiam mais nomear objetos que eram processados pelo cérebro direito que já ligava os significados às emoções, mas conseguiam nomear objetos que eram processados do lado esquerdo do cérebro. Por conta disto, Sperry sugeriu que a linguagem lógica pudesse ser controlada pelo lado esquerdo do cérebro.

Pesquisas posteriores mostraram que o cérebro não é tão dicotômico como se pensou. Uma pesquisa recente mostrou que as habilidades de matemática são mais fortes quando ambos os hemisférios do cérebro trabalham juntos. Hoje em dia, cientistas sabem que os dois lados do cérebro trabalham juntos para fazer uma variedade de tarefas e os dois se comunicam através do corpo caloso.

O que acontece é que mesmo que um lado do cérebro atue distinguindo tons de voz que revelem emoções, ainda assim as pessoas nos estudos precisam dos dois hemisférios do cérebro para atuar, não há um predomínio de um hemisfério sobre o outro, independentemente da pessoa ser mais ou menos intuitiva.

Um exemplo seria o funcionamento do sistema límbico, que controla parte das nossas emoções. O sistema límbico atua nos dois hemisférios e não em um só e nem predominantemente em um só.


No entanto, os pesquisadores encontraram mais recentemente diferenças nos cérebros de homens e mulheres, mas não de atividade dos hemisférios cerebrais. As mulheres teriam mais conexões entre os dois hemisférios, dando-lhes uma maior facilidade em exercer múltiplas tarefas (será que é por isto a tal da dupla jornada). As mulheres continuam sendo mais emocionais e tem uma memória mais ativa.



Sim, considere as mães que trabalham como deusas. Elas operam no modo multitarefas e parecem ter múltiplos braços, como os deuses hindus.


No entanto, a exploração destes dons podem sobrecarregar as mulheres que só querem descansar um pouco.


Os homens tem mais conexões dentro de cada um hemisfério, sem interligar um ao outro. A única parte onde os homens teriam mais conexões entre os hemisférios seria no cerebelo, que é responsável pela coordenação motora. Nada mais justo do que os homens usarem seus músculos para ajudar na família.


Portanto, o termo correto talvez não seja cérebro direito e cérebro esquerdo e sim cérebro feminino e cérebro masculino

Os Olhos

Nós temos dois olhos e um terceiro olho acima dos mesmos, na linha do meio. Os olhos na linguagem espiritual são a maneira como nós enxergamos o mundo, as outras pessoas e a luz do mundo, simbolizando a visão espiritual.  Em um exercício de escaneamento do corpo humano com os sentidos psíquicos em um curso que fiz, uma aluna falou que viu a diferença entre os dois olhos. Um deles apontava mais para questões celestiais, divinas e outro para questões mais terrenas, mais densas.


Os Dois Olhos de Horus o Ancião

Os egípcios perceberam isto através das histórias sobre o Olho de Horus. Muitos não sabem que o olho de Horus eram os dois olhos da face e eram denominados "Os Dois Olhos de Horus o Ancião".


Separados, os olhos tinham significados diferentes.

O olho direito era denominado como Olho de Rá, simbolizava o Sol. Representa a informação concreta e factual. Lida com palavras, letras, números. É a mesma divisão do Yin e Yang do Tao Te Ching. Este seria o olho branco. Este seria o olho sempre intacto, que não sofreu injúria. Este olho seria o mais agressivo e algumas vezes seria associado com a íris da cor vermelha.



O olho esquerdo era denominado Olho de Thoth e simbolizava a Lua. Representa a informação estética, a intuição, as emoções. Este seria o olho negro. O olho esquerdo sofre injúria quando Horus entra em conflito com Seth (que seria a personificação do mal) e foi curado por Thoth, que o fez renascer ou se recuperar do ataque. Quando ele renasce, adquire a cor verde e representa o poder de cura e de renascimento. Assim são os processos xamânicos de cura mais profundos que ocorrem de noite, pela energia da Lua. Comumente é representado com a íris azul.


Olho de Thoth, da Lua, no barco com Thoth, do Templo de Hathor em Dendera

Há uma inscrição que diz "Os dois olhos de Horus, o negro e o branco. Pegue os dois e os coloque na sua fronte para que eles possam iluminar o seu rosto."


"O Horizonte", de um sarcófago de um sacerdote da vigésima primeira dinastia

 O disco luminoso está no meio dos dois olhos nesta figura "O Horizonte". Seria como o terceiro olho, acima dos dois olhos, da visão da dualidade. O terceiro olho conseguiria resolver esta dualidade com a sabedoria divina e se iluminaria a cada vez que este processo termina. Olhar para o horizonte significa olhar para a amplidão, ter uma visão ampla e clara.


Dá para perceber que seria como um triângulo onde os dois olhos são a base, de dualidade e o topo é o terceiro olho, que seria a unicidade, a sabedoria divina, a ligação com Deus? Dizer que Deus está acima do bem e do mal não quer dizer impunidade. Esta frase significa que os conceitos divinos são a resolução dos conflitos dos conceitos da dualidade e estão acima da dualidade, são mais elevados.

São como estes triângulos descritos aqui:



As Mãos

As mãos divididas em esquerda e direita em diversas culturas têm o seu significado.

A Kaballah no Zohar no capítulo da Rosa, fala da mão direita como a que doa, a que perdoa. A mão esquerda é a mão da justiça e do recebimento. Ambas são necessárias e são complementares.


Estas são mãos na posição de bênção dos hebreus, com os dedos representando a letra SHIN, de SHADDAI (Deus).

Para ver as outras partes, clique aqui:


UNICIDADE E DUALIDADE (PARTE III)

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Humanos de Procyon

Humanos de Procyon

Nota da autora do blog: Sinceramente tem vezes que é difícil acreditar nestas coisas que encontro nos livros. Eu mesma duvido um pouco. Portanto, sinta-se livre para duvidar também. Informações colhidas do livro "Your Galactic Neighbors" de Sheldan Nidle e "Who Is Who In The Greatest Game of History" (Rolf Waeber).

Procyon, do grego "Pro" (antes) "kuon" (cão), antes do cão, que seria o cão de Sirius. Procyon é a principal estrela da constelação Cão Menor (Alpha Canis minoris), que precede Sirius (da constelação de Cão Maior) quando o céu da noite surge no hemisfério norte.


A constelação fica ao lado de Câncer, Órion, Gêmeos e Hydra. Mais abaixo está Cão Maior (com Sirius).


A estrela Procyon está presente na bandeira do Brasil. Representa o estado do Amazonas.


Será que as estrelas e as constelações da bandeira do Brasil mostram algumas populações das estrelas que vieram para este país?

MUNDOS DE PROCYON

Há dois mundos muito parecidos com a Terra, com bastante água, em volta de Procyon A (pois Procyon em verdade é um sistema binário estelar). Ao todo, são seis planetas em torno de Procyon A. Em Procyon B não há planetas.




Outros são gigantes gasosos e um é muito árido.



HUMANOS DE PROCYON

Os humanos de Procyon são provenientes de Sirius. Eles são cientistas planetários e exploradores.  Eles tem origem em Lyra e Sirius.

APARÊNCIA ESPIRITUAL (FÍSICA)

A princípio, encarnados como humanos, os humanos de Procyon teriam a aparência de nórdicos, ou suecos. Eles seriam capazes de se comunicar por telepatia.



Estas são representações artísticas de seres de Procyon baseadas no que significa Procyon na ciência da biologia, o gênero animal Procyon, que seria das espécies de texugos, guaxinins, quatis. Existe a teoria de que os humanos de Lyra e Vega seriam derivados de felinos e teriam alguns traços dos felinos.

O mais interessante é que a própria Disney usou seres parecidos com guaxinins, texugos e quatis para representar seres de Procyon em um jogo eletrônico,  porém colocaram como se os humanos de Procyon não gostassem da Terra.


Este é Rocket Raccoon, do filme "Guardiões da Galáxia", baseado na história em quadrinhos da Marvel. Cabe lembrar que Stan Lee, o criador da Marvel (DC Comics) também tem uma série de TV que se chama "Os Super Humanos de Stan Lee", que acaba por ir atrás e localizar pessoas com poderes ditos sobre humanos (alguns destes poderes são mediúnicos que as pessoas todas conseguirão ter daqui a um tempo e alguns santos e médiuns antigos tinham). Provavelmente a história em quadrinhos é baseada nestas histórias sobre extraterrestres. O nome Rocket deve ser baseado em Rocky Raccoon, dos Beatles, pois Raccoon é o nome do guaxinim em inglês.


Aqui uma arte do filme, com vários seres das galáxias:


Um trailler do filme:


Trailler legendado em português.


Desenhos de artistas representando seres de Procyon.





É interessante perceber que Hollywood sempre retrata tudo e todas as histórias com armas pesadas e sempre há uma guerra, um conflito a ser resolvido. 

É engraçado pensar em tudo isto. E em Harry Potter, há a Escola ou Casa de Lufa Lufa, com o brasão com um texugo representando:


De acordo com Harry Potter, as qualidades das pessoas em Lufa Lufa seriam de terem paciência, dedicação, jogo justo, trabalho duro, bondade, tolerância.

Assim como a Casa da Sonserina (Slytherin) em Harry Potter é dos Dragões e da Serpente (dos reptilianos). Eu sei que rosacruzes, maçons, teosofistas acreditam em extraterrestres e praticam magia (informações de pessoas lá de dentro que conheço que contaram). Seria coincidência encontrar escolas de magia ligadas a origem galáctica de certas pessoas que provavelmente tem uma mediunidade mais apurada e seriam considerados magos por conseguirem fazer o que se considera como magia (mediunidade)?

NAVES DE PROCYON

As naves podem estar apenas na quarta dimensão ou quinta dimensão ao invés de serem de matéria, afinal muitas das pessoas que enxergam as mesmas são médiuns. Este relato é proveniente de Sheldan Nidle, que é um médium e viu as naves a nível mediúnico. De fato, em um site eles dizem que as naves são feitas através de energia, através da consciência e depois se cristalizam em entidades com um certo nível de consciência, conectadas com o piloto. E que os humanos de Procyon viajam através do astral, apenas em viagem astral ou com suas Merkabas.

A nave mãe tem forma de água viva. Quem sabe seja algo deste tipo.


Quem sabe assim:


Ou então algo assim:

Esta foto aqui tem mais cara de photoshop, sinceramente. Proveniente deste site aqui: Jellyfish shaped UFO photographed over Denmark


Ou quem sabe assim:



Já apareceu um círculo em plantação na forma de uma água viva:


Há outras naves em forma de besouro que poderiam ser como estas:



Ou assim:


Ou como esta aqui:


De qualquer maneira, o besouro ou escaravelho é um símbolo conhecido no Egito Antigo, com aparência de ser uma nave, assim como o disco solar ou disco alado.



Há também um círculo na plantação com a forma de besouro:


Há outras naves em forma de floco de neve:


Assim como existem círculos nas plantações em forma de floco de neve:


Há também as naves em forma de gota que poderiam ser como estas:


Ou assim:


Quem sabe este crop circle fale sobre naves em forma de gota de água.


HISTÓRIA GALÁCTICA

O que dizem da história galáctica dos humanos de Procyon:

Os humanos de Procyon vieram de Sirius e inicialmente se instalaram como colônia de Sirius em Procyon. Eles fizeram um acordo com anfíbios-reptilianos que vieram para Procyon refugiados e perseguidos pela Aliança de Ancara (uma aliança trevosa dos Draconianos), numa guerra que ocorria em Câncer. Como acordo, os anfíbios-reptilianos fizeram o pedido de que poderiam eles mesmos desenvolver seus corpos de luz e habitar corpos de luz. Isto foi concedido e ambos humanos e anfíbios-reptilianos foram admitidos na Confederação Galáctica de Luz há 3,78 milhões de anos atrás (de "Your Galactic Neighbours", Sheldan Nidle).

Aqui neste arquivo "Reptilianos do Interior da Terra (Parte I)", diz-se que humanos de Procyon teriam vindo para a Terra atrás do cobre e teriam entrado em conflito com reptilianos que seriam os dinossauros representados nas Pedras de Ica. Isto seria há milhões de anos atrás.


Os humanos de Procyon teriam tomado parte da batalha espacial contra a aliança de Dracos e Reptilianos de Hydra e Greys de Orion. Esta aliança teria sido derrotada. Esta batalha teria no lado da Terra os humanos de Procyon e outros que fazem parte do Conselho de Andrômeda (ou Federação de Andrômeda). Os humanos de Procyon teriam se livrado dos Greys que estavam em seu sistema e assim se tornaram experts em eliminá-los. (Fonte: The Real Back Story).