quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A Revolução e os Zen Noção

A Revolução e os Zen Noção
(Por Mestre Shifu)

Bom dia, Neo. Acorde, Neo ("Wake up, Neo").


A sua jornada está apenas começando.


O mundo de hoje está mergulhado num sistema de crenças, como se fosse uma Matrix que comanda o subconsciente das pessoas.


As pessoas parecem formatadas em seus subconscientes com crenças antigas do mundo da dualidade.

As pessoas vivem para seguir um padrão de normalidade. Estão doentes de Normose.


As pessoas tem medo de serem diferentes. Pensam que se são diferentes estão usando um terno roxo com bolinhas amarelas.


Estas pessoas muitas vezes não são nem elas mesmas por precisar fazer tudo o que a sociedade diz que façam. Seguem tudo o que os outros dizem ser o padrão da pessoa feliz ou pessoa de sucesso. Parece que ao nascer, compram o "Kit da Felicidade" (Em inglês, "felicidade" é "happiness").


No entanto, você, Neo, está aqui para sair da Normose.

Para isto você teria de fazer uma revolução? Sim, de certa forma. Mas para fazer uma revolução, você precisa saber o que é ser um líder e como se portar no meio da multidão.


Suponha que você tem uma ideia brilhante que é revolucionária e que vai melhorar a vida de muita gente. Por exemplo, você inventa um remédio que cura uma doença quase incurável, porém a indústria farmacêutica já tem vários remédios no mercado que causam muitos efeitos colaterais e o seu remédio cura a doença e não causa efeitos colaterais. Esta ideia tem inimigos porque aqueles que lucram com o estado atual não vão querer mudar. A indústria farmacêutica não vai querer abrir mão do lucro que já tem com seus remédios que não curam e perpetuam a doença para ganhar mais dinheiro. E pode ser que você até corra risco de morte. O melhor é patentear o remédio e lançar apenas quando for oportuno.


Certamente eles vão perguntar dentro de uma revolução, quem são os líderes. Dirão que é uma revolução caótica, sem ordem porque não tem líderes. Assim vão querer enganar você dizendo que a revolução precisa de líderes, para que eles se exponham. Porém, você precisa saber de uma coisa.

Se você colocar a cabeça para fora da multidão, vão querer cortar a sua cabeça.


Lembre-se de diversos líderes que foram assassinados pelo Sistema. Jesus Cristo. Gandhi. Martin Luther King e tantos outros líderes negros. Lennon. Tiradentes.

Pois este é o Sistema. Tudo o que está dentro do Sistema vai reagir contra você.


Não importa o quanto suas idéias são maravilhosas e para o bem, eles vão resistir. Eles irão contra suas ideias, dirão que tudo o que você faz é errado. Isto faz parte do ciclo da mudança. Aqueles que se acomodaram não querem acreditar que existe algo melhor. A mudança faz parte do terceiro chacra, do chacra solar, que lida com a vontade, a raiva e a frustração; portanto, mexer com este chacra pode provocar a raiva das pessoas.

Depois de passar por este processo, chegará o dia em que estas pessoas vão começar a fazer o mesmo que você depois de experimentarem e verem que o que você faz é mais eficaz do que o que eles faziam.

No entanto, muitas vezes até que isto aconteça, se você fizer uma revolução aberta com confronto batendo de frente, você pode morrer.

Até a mudança acontecer, como agir?

Pense nas situações que você precisa mudar. Pense no tabuleiro de xadrez. Pense nas estratégias que você pode usar.


É claro que nem tudo é perfeito e direito como se pode pensar.

Primeiro quase sempre vão os peões na frente. Tudo o que aprendemos no começo vem por tentativa e erro, se não existirem instruções.

Os peões seriam como as pessoas sem noção. Todos nós já fomos sem noção alguma vez na vida. Eles possuem algumas características que podem nos confundir com os líderes e os revolucionários.

Os Zen Noção

Quem são os Zen Noção?

São pessoas que simplesmente não tem noção do que estão fazendo. Eles não sabem que o que fazem irrita muita gente. Podem estar até fazendo algo revolucionário e contra o sistema, mas não tem ideia de que estão incomodando.

Eles são Zen porque estão como que num estado Zen meditativo de calma no meio do caos que provocaram, sem a mínima ideia de que todos em volta querem matá-los.


De uma certa maneira, eles são um pouco "inocentes", tem um coração puro.

Tem um ar de "coragem" porque simplesmente não sabem do perigo que os espreita. Eles vão de peito aberto para virar tauba de tiro ao álvaro.


Dependendo do nível e da quantidade de inimigos, pode ser um massacre como se fossem os soldados no front do "Dia D" chegando na praia para serem mortos por metralhadoras apontadas para os barcos que se abriam.


Apenas depois deste tipo de experiência, ficamos mais atentos e percebemos antes de agir. Nossa vida já não é mais um livro aberto. Como na música "Live And Let Die".

"Live And Let Die" ("Viva e Deixe Morrer") de Paul McCartney interpretada por Guns N´Roses


Quem é o inimigo? Onde ele está e como podemos evitar um confronto? Será que é possível nos desviarmos dos tiros?


Será que é possível parar os tiros?


O Tabuleiro de Xadrez

Seu objetivo é proteger o Rei que seria sua ideia central e levar esta ideia para outras pessoas que estejam dispostas a mudar.


Você precisa traçar uma estratégia para que isto ocorra com segurança. Afinal, você está no jogo de xadrez como uma peça.


Com as torres, você olha de longe, ainda do seu castelo onde está o inimigo. Se ele está para atacar. Quem é ele? Como ele se comporta? Lembre-se que as torres são altas e servem como posto de observação. A primeira coisa é observar o ambiente. Onde você está? Como as pessoas se comportam? O que as faz irritadas, o que as agrada, quais são as regras?


Dependendo de como for, você pode ser você mesmo. Se for um lugar de batalha, precisa ser discreto. Não revelar suas coisas e suas ideias mais importantes e você precisa aprender a se adequar ao lugar. Se necessário, use um disfarce. Aja como um agente secreto.

Os bispos são suas crenças tanto positivas quanto negativas. Comece por retirar suas crenças negativas e saiba como retirar as crenças negativas das pessoas em volta.


Os cavalos são montados por seus cavaleiros e eles são os que "atacam" mais diretamente. São o veículo das suas ideias. O melhor veículo é o seu comportamento, as suas ações no dia a dia. É assim que a confiança é construída.


A Rainha é uma peça fundamental e pode andar por todo tabuleiro por conta de seu amor pelo Reino. Porém precisa ser guardada pelas outras peças. Ela pode descobrir quais são os desejos do povo e do adversário.


A melhor estratégia não é destruir o inimigo, no entanto. Neste jogo, para fazer o xeque mate, a melhor estratégia é procurar dentro da multidão os que estão dispostos a mudar. Não é fazer  uma revolução destruidora. Com calma, com paz, amor e luz. Leve a ideia ao coração das pessoas e assim a revolução será feita, de pessoa para pessoa, um a um.

Quando você menos esperar, uma multidão de pessoas foi mudada. E eles serão o seu exército. O exército que começou como o exército de um homem só no difícil exercício de viver em paz.


Nenhum comentário:

Postar um comentário